Movimento MIC

NotíciasSensibilidade e empatia fazem toda a diferença!

Sensibilidade e empatia fazem toda a diferença!

A Roda de Prosa do dia 23 de setembro, segundo dia do MIC Festival 2021, destacou a importância da sensibilidade e da empatia no acolhimento aos pacientes reumáticos. “Quando o paciente chega ao consultório, o profissional deve ter o cuidado no olhar de que está vendo ali, na sua frente, uma pessoa e não somente enxergar a doença”, enfatizou Geralda Sá, psicóloga do Instituto Gruparj Petrópolis.

O paciente se prepara para uma consulta muito antes daquele dia, por meio da realização de exames, e quando chega ao consultório leva consigo a expectativa de que aquele médico ou médica, além de especialista competente, é amável e está preparado(a) pera enxergá-lo em toda sua dimensão humana e emocional. “O que não deixa de ser um olhar positivo em relação ao que estar por vir durante a consulta”, avalia Cátia Figueiredo, que vive com artrite reumatoide há 21 anos e é presidente do Recomeçar-RJ.

Cor & Forma

Enquanto a prosa rolava animada no auditório 1, no auditório 2 a artista Renata Edaz trabalhava na construção da expressão em cor e forma da artrite psoriática e da artrite reumatoide, por meio do graffiti. Ao mesmo tempo, os participantes puderam ouvir a experiência e vivência do ex-atleta de vôlei Daniel Gramignoli com a espondilite anquilosante. Luciana Ribeiro, presidente do Instituto Eluar e paciente de EA, foi a moderadora da conversa que contou com a participação de Fábio Correia, preparador físico da Seleção Brasileira de Vôlei Feminino. Ele levou muita informação sobre a prática da musculação controlada no tratamento das doenças reumáticas. Você pode conhecer um pouco mais sobre o assunto acessando https://jornal.usp.br/ciencias/musculacao-controlada-e-essencial-no-tratamento-da-artrite-reumatoide

Educar para viver melhor

A palestra do dia ficou por conta da reumatologista Wanda Heloisa Rodrigues, presidente do Instituto Gruparj Petrópolis. A médica abordou um tema superimportante e muito pouco explorado: “Educação e saúde – O que faz sentido para o paciente e para o sistema de saúde?”. Durante a sua fala tivemos a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a importância de se trabalhar a educação dentro das unidades básicas de saúde e com os pacientes atendidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top

Seja bem vindo ao Movimento MIC! Mantenha-se atualizado assinando nossa Newsletter e seguindo nossas redes sociais!

Follow us